sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Cerrado por vacaciones (fechado pra férias)

Não, não é o blog. Ainda não... (entre uma viagem e outra ainda dou um jeito de escrever mal e porcamente...)

Essa é uma das coisas mais curiosas que me deparei pela Espanha (não é só em Madrid, não. Vimos em várias outras cidades): comércios fechados pra férias. 
E o pior: durante as férias!

Tipo, a cidade tá abarrotada de turistas enlouquecidos pra torrar a grana e algumas lojas e (pasme!) bares (sim, ba-res!) estão fechados porque o dono tacou o foda-se e foi dar um relax os funcionários estão TODOS de uma só vez de férias... 
Isso, aqui eles tiram férias durante as férias pra também aproveitarem as férias...

(E não é só bar copo sujo, não. Uns barzinhos e bistrôs bem jeitosinhos cerrados por vacaciones...)

ps: favor não prestar atenção no bração GG nos reflexos dos vidros... abafa!

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Santos bares! (bando de borrachos)

Espanha é o país dos botecos!

São muuuuitos e a cultura de ir ao bar (que vende cerveja e vinho muito baratos, normalmente) nasce com o povo daqui.
Tanto que 
você olha pro lado e pode encontrar um vovô ou um carrinho de bebê. Uma mescla irada de gente!

Tem um em cada esquina, de copo sujo aos chiques, todos sempre lotados, principalmente no calor. (particularmente prefiro o copo sujo)
(sim, isso é um bar - embora pareça a fila do sopão da madrugada - e conseguir comprar uma bebida
às vezes pode demorar mais de 15 minutos... esses mais tradicionais de ficar de pé não fazem conta,
 tem que pagar cada vez que quer uma cerveja)

Sevilha é a campeã dos bares na Espanha, com 1 bar pra cada 200 habitantes... 

No verão as terrazas (mesinhas na calçada) são a atividade preferida da galera. A maioria é equipada com aspersão de água, então fica fresquinho e agradável.
De dia, de noite, seeeempre abarrotadas...

E no inverno não é muito diferente de cheio, porque, além dos aquecedores, os bares mais charmosos dão um upgrade de calor nas cadeiras...

Mas, como tudo na vida tem um preço, nos botecos não seria diferente...
Na barra (balcão) o cardápio tem um preço, nas mesas outro e nas terrazas normalmente um acréscimo de 10% do valor da mesa.
Mas super vale a pena porque, além de ser mais bacana ficar na rua, é mega seguro!


A melhor parte é que pedir uma caña (chopp) ou vinho, sempre te rende uma tapa grátis (belisquetes, aperitivos)... Nada excepcional (exceto em Granada e Cordoba, que foi onde começou a cultura da tapa grátis - que tem esse nome porque vinha "tapando" o copo), mas um mimo que faz toda a diferença e faz a breja descer mais redonda e te fazer beber mais...

Com tantos pontos positivos, hay que emborracharse! (tem que ficar bêbado)






domingo, 8 de setembro de 2013

Tapa sol

Pelos posts já deu pra perceber que o verão veio com tudo, né?

Aliás, ele sempre vem com tudo, mas esse, pelo que dizem por aqui, veio pior (assim como o inverno também foi o mais rigoroso dos últimos anos... ¡Menuda suerte la mía! - que sorte eu tenho...)...

Enfim, além de abanico, garrafa de água, bálsamo labial e protetor solar, o verão dos espanhóis e milhares de turistas nos centros das cidades que ficam mais no miolo da Espanha e, consequentemente longe da praia e (outra vez consequentemente) mais abafadas (como Madrid, Granada, Sevilla, Córdoba e afins), ganham uma ajudinha que vem de cima, não é de Deus, e faz toda a diferença: as coberturas de tecido nas ruas.

Com esse esquema é até possível dar um rolê na hora da siesta sem definhar nem morrer seco... (apesar do vento ser quente e o bafo (de abafado, claro) estar firme e forte em todo e qualquer canto nas ruas)
Mas experimenta colocar o cabeção fora da cobertura e tomar um pouco de sol na caixola das 14h/15h às 17h/18h... Pink e Cérebro viram churrasquinho!!!!


centro de Madrid

centro de Granada

terça-feira, 27 de agosto de 2013

Jogatina corre solta!

Aqui a jogatina rola solta e é legalizada.

Da máquina caça níquel, passando pelo bingo e por apostas de tudo quanto é tipo (esportes no geral e até corrida de cachorros), Madrid tem várias casas de jogos (com um ar condicionado de dar inveja a qualquer um nesse verão) espalhadas pela cidade.


Não é como as lojinhas de chino, que tem uma em cada esquina (assunto pro próximo post...), mas não é nada difícil encontrar uma dessas pelo caminho.

Proposital ou não, no nosso bairro (que tem a maior concentração da terceira idade que já vi na vida) tem 3 dessas num raio de apenas 1km.


Dá-lhe aposentadoria sendo torrada!

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Alalaô, ôôô ôôô, dá-lhe abanico com esse calor!

Esses costumes de cada canto do mundo são as coisas mais interessantes de se reparar.
Comportamentos praticamente padrão, nesse caso com um motivo: o calor!

Já tinha falado que garrafinha água (tem gente que carrega - sem brincadeira! - a garrafa de 1 litro na mão tb pelas ruas), bálsamo labial e o lencinho de papel, o verão incorpora mais um item básico de sobrevivência em Madrid: o abanico!
Mais conhecido por nós como leque!

Toda espanhola que se preze (eu ganhei um de presente e me finjo de agora) carrega um na bolsa e saca em todos os momentos. 
No metrô é um balé de leques... (principalmente nas linhas mais antigas - menuda suerte que la mia es una - quentes bagarai) 

A dança do abanico!
Encontre os abanicos escondidos na imagem... hahhaahah






terça-feira, 30 de julho de 2013

Rebajas pra que te quero!

Ah, as rebajas...
Alegria da mulherada!

Também não é pra menos, as promoções de fim de coleção aqui são pra valer! 
De 7 de janeiro a 6 março você tem a coleção de inverno  e de 1 de julho a 31 de agosto a de verão. O melhor: remarcadas em até 70% (de verdade verdadeira!) 
E o mais legal é que rolam durante a estação do ano em questão, ou seja, dá de tempo de comprar baratchenho e ainda usar no mesmo ano!

As lojas ficam abarrotadas e às vezes até rola um stress porque fulana pegou a peça que você tava de olho...

Eles levam essa queima de estoque tão a sério que todas as lojas fazem: roupas, acessórios, calçados e até cosméticos. 

Inclusive (pasmem!) rola até uma L'Occitane em promo (claro, meia dúzia de itens mais ou menos, só pra constar e não ficar de fora).

É o sonho de consumo de qualquer habiba! <3




quinta-feira, 25 de julho de 2013

Bancos que não parecem bancos

Os bancos na Europa são bem diferentes dos do Brasil, começando pelos caixas eletrônicos, que ficam no meio da rua, normalmente ao lado da porta do banco, mas assim, sem uma casinha nem nada "te tampando"...
No começo é estranho e dá um "cagaço" porque absolutamente todo mundo pode ver o que você está fazendo, mas depois você se acostuma.
(como se nota, essa foto é antiga, pq tava o frio que tá no Brasil agora)

Nos bancos você entra por uma porta normal (foto abaixo) e a única coisa que tem que fazer, tanto pra entrar quanto pra sair, é apertar um botão (não deu pra fazer o detalhe porque fotografei "na surdina" pra não acharem que eu tava "mapeando" pra um assalto... rs). Enquanto você fica entre uma porta e outra, certeza que deve ter um detector de metais.... 

E eles são tipo um escritório com dois míseros caixas, que te atendem num balcão baixinho assim... 

E sempre estão vazios! Nunca rolou mais de 2 pessoas na minha frente...
Isso porque todas as contas aqui são em débito automático e se você não concordar com alguma, tem 30 dias pra solicitar ao banco que credite o dinheiro de volta na sua conta. (não existe outra forma de pagamento. acho que eles não sabem o que são boletos!)
É assim para qualquer tipo conta: água, gás, telefone, cartão de crédito, etc...
Ótimo porque ninguém deixa de pagar suas dívidas, obrigando as pessoas a serem mais responsáveis pelos seus consumos (em tempo: não existe compra parcelada! ou tem dinheiro ou não tem dinheiro pra comprar!) e o banco fica sempre vazio.

E pra ajudar ainda mais tem essa maquininha que, além de acusar se o dinheiro é falso, dá o troco certinho pro caixa te entregar, sem ter que ficar fazendo contas e mais contas...

O horário é engraçado: em geral, abrem das 8h15 (nem 8h nem 8h30, senão 8h15!) às 14h.
Também tem uns horários meio malucos, diferentes no verão e inverno, em um período do mês e alguns dias da semana. Dá uma olhada: 








  






segunda-feira, 15 de julho de 2013

Cachorrada!

Semana passada aconteceu uma coisa chata, mas que me fez descobrir outra coisa incrível em Madrid...

Um cachorrinho de coleira, perdido pela rua, correndo que nem doido pra lá e pra cá, seguramente procurando seu dono.
Eu e mais um montão de gente tentávamos pegá-lo, porque ia acabar atropelado, desorientado do jeito que estava e necas. Ele estava muito assustado.
Ali ficamos, eu e uma galera (que começou com 3 pessoas e ao final éramos mais de 10, fora as crianças que estavam no parque) mais de 15 minutos correndo que nem doidas atrás do dog.
Não conseguimos pegá-lo, mas depois disso chegou a polícia e "assumiu o caso".


Todo mundo mega indignado porque o dono sequer estava buscando o bicho e aí que eu descobri a coisa mais bacana: todos os cachorros aqui tem um microchip "instalado" no pescoço.
Quando são levados pra vacinar a primeira dose, é obrigatório colocar e ali vão todas as infos do dono (nome, DNI (RG daqui), endereço, telefone, etc).
Se o bicho se perde (ou perdem ele de propósito), quando é encontrado o dono toma uma bela duma multa, pra aprender na marra a ser mais responsável e entender que animais, assim como gente, são família e são pra sempre.

O final da história eu não sei (e espero que tenha sido feliz), mas que o Brasil podia copiar esse modelo pra reduzir drasticamente o número de bichinhos abandonados, bem que podia, né?!

segunda-feira, 8 de julho de 2013

Que lixo!

O esquema de recolher lixo aqui é bem diferente do Brasil...

Exitem uns contenedores pra jogar papel e papelão e outros pra vidro, que você mesmo tem que levar seu lixo limpo até ali. É prático e estimula as pessoas a separarem, já que é autoexplicativo. E tem um a cada uns 500m, então, não tem desculpa!

Mas, como nem tudo é perfeito, tem uns porquinhos (como em todo lugar do mundo, infelizmente!), que tem preguiça de abrir as caixas e dobrá-las pra colocar no contenedor, além de jogar coisas que não tem nada a ver e fica essa porquice aí:

Já o lixo comum e os plásticos + embalagens tetrapack (não me pergunte o porque de ser essa combinação de duas coisas nada a ver, porque não tenho a menor ideia), você separa na sua casa, joga nas lixeiras do seu prédio (são todas padrão, cinza pra lixo comum e amarela pra plástico + tetra e cada condomínio tem uma de cada, com seu nome ou a rua + o número) e elas são colocadas à noite na rua, o lixeiro passa, recolhe e deixa no mesmo bat-local que encontrou e, no dia seguinte de manhã, o prédio recolhe.
O mais incrível é que elas sempre estão no lugar no dia seguinte. 

E o que acho mais legal: as lixeiras das ruas, com saquinhos de lixo pra recolher o cocô dos dogs. 


Uma pena que nem todo mundo use, porque tem umas calçadas que parecem um campo minado. Nesse caso, ponto pro Brasil (pelo menos em São Paulo) porque a galera recolhe bem mais!!! (no geral, claro... e mesmo sem ter saquinhos free à disposição pelas ruas...)


sábado, 29 de junho de 2013

terça-feira, 18 de junho de 2013

Desculpe o transtorno, mas estamos mudando o país.

Sempre tive orgulho do Brasil! O MEU país! Falo de boca cheia. Sempre falei. Mesmo antes dessa temporada em Madrid. Tem muita coisa errada? Tem. Mas também tem um povo alegre, trabalhador, uma cena cultural de primeiro mundo (mas que, infelizmente, não chega à massa), enfim... Muitos motivos pra ter orgulho!

Chegamos aqui faz quase um ano. Achei o máximo o quanto o povo vai pras ruas. Velhos, jovens, crianças, adultos, todo mundo bota a boca no trombone pelos seus direitos. Fomos às manifestações pra observar (não manifestávamos nem nada, porque estamos aqui só de passagem), e todas as vezes, com um nó na garganta e umas lagrimetas escorridas, comentava com o Fred: “Caramba. Por que no Brasil não é assim, né? Somos tantos, muito mais que em quase qualquer país do mundo e não temos coragem de dar a cara pra bater? Por que não vamos pras ruas, gritar que os políticos só fodem a gente (salvo raras exceções, que espero que nunca se corrompam e apenas se multipliquem, porque SIM, vocês fazem diferença nessa porra de mundo!) e pedir novas leis e reivindicar nossos direitos? ”. E isso me inclui também, porque sempre fui ativista de sofá... Ou seja: reclamava, mas não fazia nada de concreto pra mudar.

Demorou um pouco, mas finalmente o Brasil foi pra rua! E como eu me orgulho disso! E sofro por não estar no MEU país para participar desse momento histórico. Momento de revolução. Movimento. Saco cheio. Cansaço de sermos feitos de trouxa, de não nos sentirmos representados por NENHUMA força política.

Agora as lágrimas caem de orgulho do POVO DO MEU PAÍS, que resolveu acordar.

E toda essa revolução não tem nada a ver com a merda dos R$ 0,20 (que hoje em dia, inclusive, não são suficientes nem pra comprar um pãozinho no Brasil). Essa revolução é porque a gente tá cansado de um ensino de merda, de uma segurança de merda, de uma saúde de merda, de um transporte (e muito bem pago!) de merda, de um salário mínimo de merda, de taxas e impostos de merda (que não são utilizados a nosso favor), de uma corrupção de merda e do poder nas mãos de uma gente de merda.

Vandalismo não. Os revolucionários NÃO querem violência. Mas infelizmente, no meio de toda concentração de gente, tem arruaceiro e vândalo também. E é assim em qualquer lugar do mundo... Madrid, Paris, São Paulo... Vandalismo existe em todas as partes.

Mas do outro lado também tem a polícia despreparada, que já é sofrível. Abuso de poder, covardia, tudo errado. Agora pior: a polícia contra o povo? Polícia descendo bala de borracha na imprensa, que tá ali trabalhando, tanto quanto eles? (também não são todos, mas infelizmente, nessas manifestações têm sido a maioria. e pior: isso acontece frequentemente na periferia, independente de qualquer manifestação). A que lado eles acham que pertencem, com seus maus salários e péssimas condições de trabalho?

Estamos TODOS JUNTOS, no mesmíssimo barco. Bons políticos, policiais, ricos, pobres, velhos, jovens, heteros, homos, NÓS somos o povo. Todos juntos! Somos mais de 190 milhões de seres pensantes, que dizem NÃO À VIOLÊNCIA sem deixar de lutar pelos nossos direitos. Porque temos deveres demais pra não termos direito a NADA púbico de qualidade.

E não podemos esquecer que isso tudo acontece enquanto os políticos “trabalham” de segunda a quinta-feira (quando aparecem), com milhares de regalias, assessores da sua família, salários exorbitantes e nós, sejamos da classe A, B, C, D, E ou Z, estamos ralando que nem uns condenados, pagando impostos abusivos e recebendo porra nenhuma em troca.
E por que agora? Porque a gente é inteligente. A gente sabe que o mundo tá olhando pro Brasil por conta da Copa, então, esse é o momento de fazer barulho por um país melhor. Porque se não for por nós, pelo menos vai ser pela vergonha de sermos defendidos até pelo resto do mundo, como estão fazendo outros ativistas e veículos de comunicação realmente sérios.

Agora tá rolando outra manifestação aí em São Paulo e amanhã é aqui em Madrid. E ali estaremos!

Chega de reclamar na roda do bar, no almoço com a família ou enquanto assistimos aos telejornais. É hora de tirar a bunda do sofá e fazer algo por um país melhor pra nós, pros nossos filhos, netos e quem mais vier pela frente.

Desculpe o transtorno, mas estamos mudando (e vamos mudar!) o país!

=====================

Em tempo: a solução para qualquer problema social é a educação.

Faltam professores com melhores salários + material didático e condições de trabalho.

Faltam pais com mais tempo pros seus filhos e não tendo que fazer hora-extra pra garantir o sustento da sua casa (e não importa se é o motorista ou o motoboy que, cansados pra caralho, depois de um dia inteiro num trânsito filho da puta como o de São Paulo, fazem uma “viagem extra” pra poder tomar uma cerveja no final de semana ou se é um executivo de alto escalão, que SIM, também trabalha pra caralho porque seu cargo de confiança exige).

E pior ainda: faltam mães com mais tempo com seus bebês e não que, no 4º mês, tenham que deixá-los numa escolinha ou com a babá (para quem tem dinheiro, mas também rala pra pagar as contas) ou tentar uma vaga em uma creche pública (se tiver muita sorte!) ou com as avós (se elas também não estiverem trabalhando (ainda!) pra ajudar no sustento, porque a aposentadoria é uma vergonha).

Resumindo: a educação é a única chance para tentar (começar a) melhorar a porra o país.


E os R$ 0,20 são apenas uma desculpa pra começar uma grande revolução. Os R$ 0,20 são um pretexto de muitas manifestações que virão, por toda merda errada que fazem no nosso país, porque a gente não quer mais engolir sapo nem ser feito de trouxa! Ninguém mais cala nossa boca!!!!

domingo, 12 de maio de 2013

Pra minha, pra sua, pra nossa... Feliz dia das mães!!!


Feliz dia das mães pra minha mãe mã, pras minhas mães vovós (as no céu e a em terra que peguei emprestado do baby), pra minha mãe madrinha, pra minha mãe sogra, pras minhas mães tias, pras minhas mães irmãs, pra minha mãe irmã agora mãe, pra minha mãe boadrasta, pras minhas mães amigas, pras minhas mães amigas agora mães, pras minhas mães amigas futuramente mães, pras minhas mães dindas, pras minhas mães dindas agora mães, pra minha mãe dinda futuramente mãe, pras minhas mães comadres, pras mães de todas essas mães, pras que estão tentando ser mães (e em breve serão!), pras mães que ainda não são mães, pras mães de cachorros, pras mães de gatos e pras mães pais...


domingo, 5 de maio de 2013

Mães chegando para nos visitar em 3, 2, 1...

Como hoje é "Día de la madre" na Espanha (e em Portugal tb!) e falta bem pouquinho pra nossas virem nos visitar, esse post é uma contagem regressiva...

Malas da dona Celeste Cecéu Celas Cê Maluquetes prontas, faltando só 2 dias pra embarcar... 
Então, vamos comemorar o nosso dia das mães brasileiro juntas, depois seu níver (dia seguinte, 13/05, mas com direito a 2 presentes. Sempre! E nada de cacarecos pra casa... Nuncaaaa! #filhaJusta)


Sogrinha e sogrão têm mais um tempinho pra ajeitar tudo e chegam aqui dia 22/05, a tempo de comemorar o aniversário do baby (24/05) e o dela atrasado (07/05 #filhoJustoTb) e passamos uma semana juntos. 


Depois de 7 meses só pelo skype, estamos esperando ansiosos pra colocar as fofocas em dia, levar nos lugares bacanas que a gente descobriu, descobrir lugares novos juntos... e curtir muito nossos amores!!!

Pra matar a saudade enquanto isso...



(meu pai não tá mais, mas com certeza vai estar aqui por perto de olho na gente! =)

PS: as tags desse post são um trava-língua: madre, mãe, Madrid... 
(uma vez ok, nem tanto, mas tenta falar três vezes seguidas...rs)

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Nham, nham, nham! Como se come em Madrid!!! (ai, que chato!)

Minha cabecinha ainda não conseguiu entender como as pessoas aqui podem comer tanto e serem magras (fora o tanto de comida, quase tudo vem acompanhado de pão e/ou batatas fritas!). 
Viva a genética (que eu não tenho a sorte de ter #invejinhabranca) é o máximo que me vem à cabeça...

A comida (que é como chamam o almoço e almuerzo é o lanchinho da manhã, entre o café da manhã e o nosso almoço...) fora de casa vem aos kilos... o famoso MENU. (que começa em umas 8 eurecas, mas pode chegar até 30... 10 é digno! mais é roubo!). 
Comer hasta que quepa, ¡señores! (comer até caber)

E, como se come mais tarde que no Brasil (aqui o normal é umas 14h, 15h), sempre tem mais fome e mais "zoião"... (jantar se marca a partir das 22h)

Normalmente vem: um pão (do tamanho do nosso francês, mas mais durinho, tipo o italiano) + primeiro prato (que não, não é uma entradinha muito menos só salada... às vezes é paella, lentilha, macarrão e por aí vai) + segundo prato (que pra nós seria o principal... sem arroz nem feijão... e, normalmente, acompanhado de batatas fritas... peixe, bife, frango com um algo mais de outra mistura. muitos lugares tem opção de hambúrguer inclusive... gracias, a gente adora!) + bebida (cerveja, vinho, refri ou suco) + sobremesa ou café. 
Ufa! Cansa só de pensar e claro, com tanta coisa gostosa, a gente (que tem os olhos maiores que a boca) acaba comendo tu-di-nho, do jeito que a mamãe mandava... Sem sobrar nenhuma migalhinha...

 (opções de primeiro prato... )

(segundo prato)

 (sobremesa e café)


domingo, 14 de abril de 2013

Echo de menos a mi manicura...

Toda escolha traz uma renúncia e fazer as unhas na manicure foi uma delas...

Enquanto no Brasuca fazer as mãos sai por 15 reales, aqui não menos que 15 também, mas eurecas... ou seja, quase o triplo!

Pra piorar (ou melhorar, se pensar que o certo não é tirar), não tiram as cutículas, só empurram...
Ou seja, 15 eurecas apenas para pintar as unhas...

Se quiser tem também as super manicures brasileiras, que fazem tudo lindamente como a gente adora, mas não saem por menos de 30 eurecas... Só pra fazer a mão, meu bem! (por esse preço tinham que te dar uma unha que não descascasse nunca mais, pro resto da vida! ou uma mão nova, talvez...)

Como o sangue "habibo" que corre em minhas veias não me permite tal feito, bora (tentar) fazer sozinha!
Já tinha tentando algumas vezes mesmo em SP, mas a coordenação motora da mão esquerda insiste em não colaborar....
Mas "vamo que vamo" porque se não for assim não vai ter unha vermelho puta nunca nesse 1 ano... (minha manicure que falava que eu gosto de vermelho puta... vermelho vivooooo!)

Bom, tentativas mil, dedos pintados como se eu estivesse no jardim de infância, bolinhas de algodão a rodo, frascos de quitaesmalte e horas e horas de tempo perdido e até que já estou fazendo direitinho... De longe, claro! Nada de dar zoom na foto, por favor...


sexta-feira, 5 de abril de 2013

Secura total!

Eita cidade seca!
Madrid me lembra muito Brasilia... Secura total!

Lábios rachando e sede bombando, mesmo no inverno...
Tanto que a coisa mais comum de encontrar nas bolsas e mochilas é uma garrafinha de água e um bálsamo (abaixo) ou protetor labial (aqueles em formato de batom). 

Eu prefiro o protetor porque não meleca o dedo, mas o bálsamo é quase unanimidade aqui... (tem de tudo quanto é formato e sabor e me lembra aqueles moranguinhos que não só passávamos na boca, mas comíamos, quando crianças... nham, nham, nham!)  

A água você compra só a primeira vez e depois enche a garrafinha de "torneiral", porque a água da Espanha é toda potável. 
Inclusive, bebedouros não existem aqui. Em nenhum lugar: escola, shopping, estádio, nada! Porque é da torneira direto pra garrafinha...

E qualquer pessoa tem esse kit de sobrevivência na secura: mul
heres, homens, jovens, crianças, velhinhos...