domingo, 23 de dezembro de 2012

Fim do mundo foi um evento mal organizado...

Aproveitando que esse evento do fim do mundo foi mal organizado e não deu certo, que tal começarmos nosso mundo de novo?

Como?

Amando mais
Tirando o pé do acelerador e tendo menos pressa
Aproveitando os pequenos momentos, pois são esses que, juntos, fazem a gente feliz
Sendo mais bobos
Reconhecendo nossos erros  
Não deixando de agradecer (elogios, presentes, comentários. vale pra tudo que ganhamos! inclusive a boa vida, pq sempre vai ter alguém pior...)
Enxergando mais as coisas boas e não perdendo tempo procurando pêlo em ovo
Levando a vida mais de leve
Sendo mais carinhosos
Não esquecendo (NUNCA!) de onde viemos
Dizendo mais eu te amo (desde que seja sincero)
Sorrindo e gargalhando mais 
Não esquecendo de tudo que as pessoas já fizeram por nós e sendo gratos (e retribuindo com amor)
Nos importando mais (e de verdade!) com as pessoas que amamos 
Viajando mais (esse é o dinheiro mais bem gasto do mundo!)
Expressando nossos sentimentos, porque as pessoas não têm bola de cristal para adivinhá-los (desde que os maus sejam com jeitinho... o jeitinho sempre resolve tudo!)
Sendo mais carinhosos
Não deixando ninguém sem resposta (vale para e-mails e redes sociais)
Elogiando mais (vale qualquer elogio, desde que seja sincero!)
Sendo mais auto-críticos e nos esforçando pra mudar onde erramos
Espalhando mais amor e boas energias 
Não dando mais do que nos oferecem (assim a gente não se machuca por não receber em troca) 
"Perdendo mais tempo" com as pessoas importantes
Reclamando menos e agindo mais
Nos divertindo 
Sendo menos estressados e grosseiros
Não pensando só em nós mesmos (e nem pensarmos que não pensamos só em nós mesmos)
Agradecendo todas as coisas boas (e as ruins também, porque são essas que fazem a gente amadurecer)
Sendo maduros o suficiente pra perdirmos desculpas quando nos excedemos
Não tendo vergonha de sermos quem somos, nem de dizermos o que sentimos
Gastando nossas energias com o que realmente vale a pena
Não criticando tanto as pessoas (e muito menos fazendo o mesmo que nos incomoda nelas)
Dando menos likes e fazendo mais comments (com os que realmente gostamos)
Não nos esquecendo que não adianta de nada rezar e nos dizermos crentes em Deus se não formos boas pessoas 
E, principalmente, nos permitindo!




terça-feira, 11 de dezembro de 2012

El metro de Madrid - parte II - lo malo

Esqueci de contar outras coisinhas do bom do metrô de Madrid...

Como tem um montão de estações, quase todos os sites de lojas, shoppings, restaurantes, bares, baladas e etc te dão, além do enedereço, quais linhas de metrô (e ônibus também) chegam até eles...

O horário de funcionamento, que vai das 6h da matina (mais cedo não precisa porque os trabalhos começam às 9h, 10h, 11h... depois explico melhor) até 1h30 da madruga. Ótimo, porque dá pra ir pros bares e pegar o metrô tranquilo na volta. (tem menos carros e demoram mais pra passar, mas ok...)
 
Algumas estações tem esse ponto de informação.
 
 

Mas, como eu disse no post anterior, tem também alguns poréns...
 
Nem todas estações tem escada rolante e/ou elevador, então, deficientes físicos e pais com carrinhos de bebê sofrem... Nesses casos, tem que olhar no site pra saber quais estações contam com essa mão na roda... =(
Os carros são mais estreitos que os de SP, então, já não tem muito espaço...
E, pra ajudar, os espaçosos as pessoas não tem muito costume de sair da frente das portas mesmo se não vão descer na próxima estação...
 
Além disso, como tem poucos bancos, o pessoal também senta no chão em frente às portas que não abrem nas paradas, gerando mais gente amontoada...
 
Pra piorar, tem os artistas com o som mega alto (lógico, tem alguns super bons, mas tem uns que madre mia... e são muitos! toda vez que pegamos o metrô nos deparamos com um novo e em diferentes horários), vendedores ambulantes e pedintes a rodo... (como não tem tantos seguranças que nem SP, ninguém controla).
 
Tem músicos e ambulantes que também ficam nos corredores das estações e montam seus shows/lojas...
Como tem muitas linhas interligadas em algumas estações, que, por sua vez, tem sempre ao menos três entradas/saídas, tem corredor pra cassete - tipo um labirinto, só que com placas indicando onde ir.
(esses eu não fiz foto porque fiquei sem graça que não dá pra disfarçar que está fazendo uma foto... sim, às vezes, muito raramente, eu tenho crises (passageiras) de vergonha...)
 

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Hoje faz 3 anos que tropecei na minha felicidade!

Hoje faz 3 anos que tropecei na minha felicidade!
Essa é a prova de quem sim, tem (e muita!) gente legal pra conhecer na balada.
E como passou rápido!
Como me disse o baby pela manhã, passou tão rápido e nem percebemos porque foi bom demais. Foi, é e sempre vai ser porque a gente se esforça bastante pra isso... Porque pra um casamento dar certo se necessita muito amor, mas também muito esforço e siceridade. (aliás, para qualquer relacionamento maduro dar certo)
 
Nunca pensei que pudesse ser tão divertido ser casada!!!
Que fosse possível encontrar alguém tão parecido comigo e às vezes tão diferente, mas que me completa e é perfeito pra mim.
 
Sempre ouvi dizer que você tem que saber pedir que um dia vem... E sempre pedi um cara que nem o Fred, mas pedi com tantos detalhes e poréns que, quando eu achava que não tinha ninguém escutando meus pedidos, eis que me aparece aquele moço com barbinha por fazer (nham nham nham!!!) e me segura após um empurrão (que, lógico, dei uma exagerada pra chegar mais perto da presa que eu já tava de olho desde que tinha chegado na balada).
Depois de um tempo, quando as qualidades (e os defeitos também porque ninguém é perfeito, graças a Deus! E, se fosse, o mundo ia ser chato pra cacete) começaram a aparecer, pensei: caraca, não é que tem realmente alguém te escutando e apuntado tudo que você pede? O lance é que demora um pouco pra achar tanto detalhe numa pessoa só e, consequentemente, demora mais tempo ainda pra colocá-la no seu caminho.
 
Enfim, o que importa é que hoje faz 3 anos que minha vida ganhou uma energia diferente, com um cara que tem as manhas de ser meu marido, meu namorado, meu amante, meu amigo (e dos bons! ou melhor, dos melhores!), meu companheiro, meu cúmplice, meu pai, meu filho, meu personal palhacetor tabajara, meu professor, meu anjo da guarda, meu pilar, meu tudo... Que é bobo e trash igual a mim (ok, ok, eu sou muito um pouquinho mais, admito!), que tem uma paciência do cão, que é sensível e ao mesmo tempo machão, que me escuta, que me ajuda em tudo o que eu preciso (e no que eu nem preciso também!!!), que tem os mesmos princípios morais que eu e, principalmente, que também quer levar a vida numa boa, sem stress e com muita diversão!
 
Tudo que eu quero é que venham mais 3, 10, 20, 30, 40, 50 anos... Até ficarmos banguelas e enrugadinhos que nem maracujá!!!

Na realidade não importa quanto tempo, o que importa é que continue tão forte e intenso como é desde o começo...
 
Te quiero mucho, ¡cariño!

Mutu! Tanto!














domingo, 2 de dezembro de 2012

El metro de Madrid - parte I - lo bueno

Eu já achava o metrô de SP bom (em relação aos outros do Brasil, que eram os que eu conhecia), então, chegamos aqui e eu parecia uma caipira que nunca nem tinha andado de metrô, porque é tudo muito diferente... E melhor! Um dos melhores do mundo, inclusive!
E não é à toa: 12 linhas que ligam a cidade inteira e, de quebra, também suas afueras (afueras = Madrid e Grande Madrid = SP e Grande SP). A linha circular interliga 10 das outras 11 linhas (um perigo pra quem dorme ou está borracho, porque pode dar milhares de voltas que nem tonto. Já soubemos de figuras que passaram esse aperto por umas 2 horas consecutivas... não, dessa vez não fui eu a tonta...).
 
É o principal meio de transporte e todo mundo usa: pobre, executivo, endinheirado, gente simples... Unânime!
Tem uma app que, além de ver a rede de estações e calcular a melhor rota (com baldeações e incluindo tempo), quando você entra no google maps, digita um endereço e escolhe transporte público, ele te joga automaticamente pra app do metrô também.

Tudo super bem sinalizado, com placas pra todos os lados, inclusive com a estação que estamos e as próximas que temos pela frente, incluindo suas conexões...
Qualquer perdido se acha!

O preço não é dos mais baixos (1,50), mas, em contrapartida, você chega a qualquer lugar de metrô. Tem desconto nos bilhetes de 10 viajens (por 12,20€ - como era em SP até começarem a nos roubar mais e retirarem esse desconto por volume).
Se for pras afueras tem que comprar um bilhete extra por mais 1,50€, na própria conexão.
Rolam uns esquemas para turistas, onde se pode viajar quantas vezes quiser por 1 dia (8), 3 dias (13,40), 5 (17,40) ou 7 (25,40).
 
Dá pra comprar bilhetes nas máquinas de autosserviço... E, inclusive, às vezes, é a única forma, porque a maioria das estações não tem ninguém na bilheteria, nem vigiando ao vivo e em cores (só câmeras)... Por isso, pode rolar uma fiscalização, onde pedem que mostre seu bilhete, pra comprovar que você não passou sem pagar, porque, como não tem ninguém de "butuca", tem engraçadinho que entra pela saída (que não é uma roleta como em SP, é tipo uma cancela que você mesmo abre).
 
Tanto na catraca quanto na plataforma tem informação de quantos minutos faltam pro seu trem passar (e o seguinte depois desse). Ótimo porque, se estiver chegando, você já sai correndo! Dentro do trem também tem um display pra informar a próxima estação.
(não dá pra ver muito bem os números por causa da luz forte, mas dá pra entender como é)
(esse é o de dentro do trem)
Alguns trens são super novos e parecem um minhocão gigante, com todos vagões interligados. E os bancos são sempre assim, tipo um paredão (mesmo nos velhotes).

Quase todos tem esse espacinho do lado dos bancos para poner su culito... Eu, como sou meio anã, não chego na altura certa pra isso, mas dá pra se encostar...

E aqui os preguiçosos são obrigados a fazer algo: pelo menos abrir as portas dos vagões quando querem sair, porque não abrem sozinhas... Pra quê? Pra economizar energia!
(nessa foto dá pra ver bem que nem todas as portas abrem)

Uma coisa bem legal é que tem biblioteca em algumas estações (assim como em SP) e também umas salas pra ensaios e preparação de projetos artísticos para atores, músicos e bailarinos (isso ainda não tem em SP, mas quem sabe...).
 
Mas, como sempre é obrigatório ter um porém... Tem alguns poréns... (mas isso eu falo no próximo post, senão esse fica muito grande e meu marido, minha mãe e minha sogra meus leitores ficam aburridos)

domingo, 25 de novembro de 2012

Quase três meses... adaptação (quase) total!

Faz quase três meses que estamos aqui, dá pra acreditar?
Pra gente passou muito rápido... Aliás, sempre falo que el tiempo vuela en Madrid...
Acho que como o sol só dá as caras mais tarde, passa essa sensação de que o dia acaba muito rápido, não sei...
 
O lado bom é que já estamos mega adaptados a quase tudo e a quase todos (e agora já tenho muito o que postar, pois já deu pra analisar e formar opinião... antes não o fiz tanto porque estava reconhecendo território... agora vou pegar firme no blog. Prometo!) e já não dá muita vontade de ir embora...
Lógico, adaptar não significa adorar tudo. O frio não nos agrada, mas já não incomoda tanto (só não sei se vamos reafirmar isso quando o inverno chegar... aguardem cenas dos próximos capítulos...).
 
Um dia alguém perguntou do que a gente tinha mais saudade...
Respondo: família (cachorro também faz parte da família, lógico! Saudade do meu Ricco, também!!!), amigos, calor e pizza!!!
 
Família e amigos a gente vai tentando matar a saudade por skype, msn, face, e-mail (pra quem tem uns minutinhos livres pra nós, claro! sim, sou carente e nunca disse o contrário... como diz Lulu Santos, "Eu não sei viver sem ter carinho. É a minha condição.") + as visitinhas diliça que recebemos (Daurita e Marcelo, e Juliano, Arnaldo (outro ser desapegado de redes sociais), Krishna e Kelly e outras que ainda virão - gracias, papi!), o calor a gente liga a calefación (e fica entocado no cafofo) e a pizza é o que menos importa nesse momento!
 
O que é mais curioso é que, mesmo estando em SP e não tendo tanto tempo livre pra ver esse povo todo e, às vezes, até chegando a meses e meses sem encontrar pessoalmente (porque virtual sempre dou um sinalzinho de fumaça!), estar longe dá uma sensação diferente, não sei explicar... Só quem já passou por isso sabe...
O simples fato de você saber que não pode ver as pessoas na hora que quiser, dá uma angustiazinha de leve. Dá medo que coisas importantes aconteçam (e, lógico, acontecem. inclusive já aconteceram e vão acontecer mais, eu sei...) e você esteja longe sem poder participar...
Esse montão de grávidas (inclusive minha irmã! A Lívia está quase quase pra chegar! Depois tem a Sofia e por aí vai... - não falei de todas porque Renatinha, e Thays, por exemplo, ainda não deram nomes aos seus pimpolhos (as) e/ou ainda não me contaram - fiquei pra titia mesmo casada... hahaha) e não vou conhecer de bate-pronto nem pessoalmente a carinha desses bebês quando chegarem ao mundo, os aniversários das pessoas que eu amo e não vou comer "um teco" do bolo (Vivis, lembrei da foto do seu e me deu água na boca... faz igual quando eu voltar, amiga, "plis"?), o Natal em família (apesar de que essa vai ser uma experiência nova e interessante, de sermos só nós dois, mas dá um aperto gigante no coração de deixar minha mãezinha sozinha... Mas também sei que será bem cuidada pela Thatá, Thi, tia Cida e tio Marco), o Ano Novo na praia, o Dia das Mães com as nossas...
 
Mas, por outro lado, estar aqui é um sonho e a gente está aproveitando cada instante  e vivendo intensamente essa oportunidade que caiu no nosso colo (e, lógico, trabalhamos muito e ahorramos horrores pra estar aqui. Mas, como disse minha mega "miga" : a experiência é única e sem valor monetário => e olha que ela foi ainda + corajosa, porque foi sozinha pra Portugal e numa época sem redes sociais, que amenizam a saudade)...
 
Enfim, resumindo, não há escolhas sem renúncias (pra absolutamente qualquer coisa na vida da gente!) e, mesmo com as saudades mil, é incrível estar aqui e não mudaríamos nadinha! (ok, se desse pra trazer família (+dog), calor (não que aqui seja o Pólo Norte, mas são praticamente dois invernos seguidos), amigos e pizza mudaríamos com prazer!)
 
Quando voltarmos recuperamos o "tempo perdido" (que de perdido não tem nada, só agregamos às nossas vidas com essa viagem) e prometemos tentar continuar nos fazendo presentes mesmo à distância.
 
Pero lo más importante és que vosotros sepan que los echamos de menos.
(y que también estamos muy felices aquí)
 
(ahora no voy más fotografiar solo con móvil... Proximamente, con mi câmara... ¡Muy pronto! jejeje)

sábado, 17 de novembro de 2012

14N - Huelga general

Geral, geral, não foi...
Parcial está bem definida, porque muitas lojas abriram, algumas fecharam + cedo, outras ficaram com as portas pela metade, mas não foi aquela coisa de cidade fantasma que a gente esperava de uma greve geral.
Mas vôos foram cancelados, fábricas e escritórios fechados, além do metrô funcionando com serviços mínimos (o que me fez camelar 6km a pé até a escola, porque me disseram que era perigoso o metrô, que os manifestantes poderiam encrencar com quem estivesse o utilizando, etc... mas parece que estava tranquilo... pena que eu descobri tarde, para tristeza das batatinhas das minhas pernas...)
 
Enfim, o que acontece?
O país está em crise (embora não chegue nem aos pés das crises que já vivemos no Brasil, mas depois eu desenrolo em outro post) e as pessoas estão com medo de, com o corte de gastos, perderem saúde e escola públicas (que são muito boas!), fora o aumento de impostos e o desemprego, então, fazem barulho pra chamar a atenção do governo, com manifestações e essa greve "geral" (que já é a segunda do ano).
 
A polícia fica a postos, fechando os caminhos que levam ao Congreso de los Diputados (ponto de encontro das manifestações), pra evitar qualquer tipo de confusão. Mas, ainda assim, foram mais de 80 presos e 40 feridos...
 
O que é mais bacana é que a galera adere mesmo!
Tem velhinho, criança, muuuuuitos jovens, pobre, rico, tem de tudo!
O governo diz que foram 35mil pessoas e os sindicatos, 1milhão.
Lógico, cada um puxa a sardinha pra sua brasa, mas o que importa é que tinha gente pra caramba, como dá pra ver na foto. (e isso é só um pedacinho)

sábado, 10 de novembro de 2012

Coisas estranhas acontecem nos cines madrileños...

Como assim, só tem dublado?
¡Coño!, es muy malo. Así no me gusta.
Ah, não, dublado não dá. Só se fosse desenho... e olhe lá!
 
Descoberta bombástica: os filmes gringos são todos dublados aqui em Madrid.
Como diz a lindeza da minha amiga Yara Motta: Oooi? (fecho os olhos e vejo/escuto seu jeito engraçado de dizer isso... heheheh... ai, que saudade, amiga!!! #amo)
Perguntei pra um monte de gente o motivo, ninguém sabe dizer, e a galera discorda, inclusive... Eu cheguei (sem confirmar com nenhum madrileño) a uma conclusão histórica: que na época da ditadura com o Gal. Franco (aqui não se pode nem brincar que é parente  do cara, porque o povo não pode nem ouvir falar o nome do "hómi", mesmo morto há quase 40 anos...) mudavam os diálogos dos filmes na dublagem, pra passar pela censura. Então, imagino que tenham se acostumado mal e agora faz parte da "cultura"...
 
Mas não dá, perde muito a qualidade do áudio. Assim deixa pra assistir na Sessão da Tarde... (e ainda assim, tipo Net, a maioria dos filmes já dá pra colocar no áudio original, gracias. Aqui também. Gracias².)
 
 
Depois de uns dias, rodando pelo centro, encontramos um cinema com cara de alternativo (tipo o HSBC Belas Artes - descanse em paz! - infelizmente... #adorava) e, aleluia!, filmes legendados (inclusive com legendas em chinês, até... Madrid é cheia de chinos - depois conto essa parte direito) e, consequentemente, bombando, fila enorme e sessões lotadas!
Assistimos Ted e morremos de rir... É o urso mais figura da face da terra!!! (o filme está sendo acusado de plágio, inclusive. Foi comparado com os personagens de cartoons/tirinhas de "Imagine This" e "Rehabilitating Mr. Wiggles" -  na natureza nada se cria, tudo se transforma... de verdade, não tô tirando onda, não... acredito nisso!)
 
O Cine Ideal (http://www.yelmocines.es/) fica pertinho da Puerta del Sol, uma das praças mais conhecidas (e abarrotadas de gente quase 24h por dia! - outro futuro post) de Madrid.


Depois (e já passada a peripécia com o velhinho no filme espanhol), demos uma segunda e terceira chances pro cinema perto de casa...

Assistimos Frankenweenie (Tim Burton sempre incrível. aliás, esse longa veio de um curta dele mesmo de 1984, com atores, que tb vale a pena assistir) e Tadeo Jones (outro desenho, mas daqui da Espanha, tipo Indiana Jones... mais ou menos engraçadinho).

Enfim, só eu e o Fred (de novo!) na porra da sessão... Como pode?
Taí o baby pagando mico pra confirmar!


Indignada, comentei com o pessoal do curso, comprarando com o Brasil (pelo menos em SP, que os cinemas estão sempre lotados à noite nos findes) e eles disseram que é por conta do preço que aumentou muito (antes custava 5€ e agora está 9€ o normal e 3D 10€ - em relação ao normal, o 3D até que é barato, mas fazendo aquela continha básica "Xquase3", dá uns R$24 - quase o mesmo preço do Brasil, ou seja, caro! Mas outro dia eu resmungo sobre esse assunto) e que agora as pessoas vão mais aos cinemas do centro, não dos bairros (e esses, consequentemente, estão fechando).

É incrível ter um cinema só pra você, confesso!
Mas também é bem triste! Lamentável até, eu diria...


É de se estranhar (e muito!) um povo tão consumidor de cultura não usar bem algumas ferramentas... Mas é de se admirar também: eles realmente se manifestam e boicotam quando não estão contentes com algo.

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Le temps de l'amour

Tontería echa
Teste
Clip feito pelo baby (+ eu co-produzindo e dando uns pitacos na direção) pra um trabalho da escola...
E eu pagando sapo de "atriz"...
Como diria a grande Lady Kate, "Boooooom, booooom não tá, mas tá bom, tá bom, tá bom, tá bom, tá bom, tá bom..." (mas é só o primeiro... Hollywood que nos aguarde!!! hahahahah)
 
Assite aí, vai, a música é lindaaaaa!!!

video
Le temps de l'amour - Françoise Hardy

 


sábado, 3 de novembro de 2012

A bruxa está solta!!!

¿Trato o truque? (Doce ou travessura?)

Aqui em Madrid o povo festeja o Halloween como nos States.
E não é uma festa só de criança, não. Todo mundo adere!

Todas as lojas e bares enfeitados com o tema desde 15 dias antes, mil e uma opções de fantasias, baladas e festas temáticas...

E a galera capricha mesmo!

fotos gentilmente cedidas por los monísimos amigos Cris Aora e Victor Gonzalez Marichal

Na quarta indo pro curso às 8h30 da madrugada matina já me deparei com seres humanos fantasiados. Isso que é vontade, o resto é conversa!
E quanto mais tarde, mais gente no clima pelas ruas (tipo como no carnaval)...
No metrô vimos um cara de costas com a roupa rasgada e umas pinturas vermelhas. Pensamos que era "bixo" de faculdade e, quando ele olha pra gente, era um super zumbi...

Nós, como somos meio preguiçosos, velhotes e temos frio, ficamos em casa mesmo. (aqui já batemos 1º C - detalhe: ainda estamos no outono)


A parte chata é que o que era pra ser uma festa acabou virando uma tragédia que comoveu todo o país.

Steve Aoki (um DJ japa mega conhecido (não por mim, que não tenho + idade pra "puntz puntz") veio pra festa que estava prevista pra receber 10 mil pessoas no Madrid Arena no último dia 31.

Só que (parece, porque a polícia ainda está investigando e nada é certo até o momento) distribuíram o dobro de ingressos e também rolaram muitos falsificados. A bagaça estava mega abarrotada, não cabia nem um alfinete!

E aí em algum momento rolou uma explosão de não se sabe o que e, as pessoas, apavoradas com o fogo, saíram correndo por um corredor super estreito.

No meio dessa confusão um montão de gente foi ferida e pisoteada, o Samu chegou em nem 5 minutos depois de chamado e atendeu todo mundo em outros 5 minutos, mas, pra 3 pessoas já era tarde... + 2 em estado grave (sendo que uma não resistiu e morreu hoje)...
Triste coincidência, mas, como já passava da meia noite, isso tudo aconteceu no dia dos mortos (que aqui é dia 01/11, um dia antes do Brasil).

Só se fala nisso em todos os noticiários.
E o Ayuntamento (tipo a nossa Prefeitura) que cedeu o espaço para a festa (que era particular) se pronunciou proibindo macrofestas em espaços municipais. Falam até em mudar algumas leis pra que não aconteça mais nada parecido.

O problema é sempre o mesmo: a porra do dinheiro e da ganância.
No espaço só cabiam 10 mil pessoas e, conforme as vendas foram bombando, além de aumentar os preços de entrada (que começaram com 15€ e acabaram em 40€), venderam o dobro do permitido. Agora, além de lamentar e rezar pelas famílias abaladas, é esperar pela justiça daqui, que é bem rigorosa...

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Las cositas diferentes de mi hogar - parte II

Como bem lembrado pela minha amiga Audrey (que mora na Itália e na Europa é (quase) tudo igual/padrão), tem outros pequenos detalhes diferentes do Brasil que esqueci de comentar...

Travesseiro - essa foi uma das descobertas mais legais daqui. Pra gente, lógico, que gosta de dormir juntinho. Travesseiro de casal! No que consiste? É exatamente igual, só que é mais que o dobro do tamanho. Perfeito pra dormir juntinho, separadinho, de todo jeito, porque não te falta travesseiro em nenhum momento. Só não dá certo se cada um gostar de um tipo textura e altura...

Box - não tem azulejo no chão (graças a Deus, pq congela um pouco menos nossos pés) e o tamanho é padrão, independente do espaço que vc tem no banheiro... Ah! outra coisa é não tem chuverinho separado... Se vc quiser usá-lo na mão é só tirar do suporte e pronto! (sim, no Brasil tb tem em alguns hotéis e casas de gente phynna)

PS: não, esse treco preto na torneira não é uma
peruca black power para bebês... é minha bucha, mesmo!
Tanque - não existe! E vc está pensando "onde lavo as porras dos panos de chão, então?". Não lava. E não lava pq não tem pano de chão... Se bobear nem sabem que exite (rs). Aqui só se usa fregona, que é uma mistura de vassoura com sei-lá-o-que, que você molha nesse balde e ¡ya está! O melhor da história é não ter que colocar as patinhas na água, no pano e etc, porque você coloca a fregona no balde, torce o cabo e tudo lindo! Mega prático! (certeza que vamos levar um pro Brasil, se quando a gente voltar, porque lá é mega caro e aqui mega barato, porque só usam isso pra limpar) #adoro

 ¡Hogar, dulce hogar!

terça-feira, 16 de outubro de 2012

¿Como puedo ser tan tonta, alocada, desastrosa, liada y ñoña?

Ontem foi meu primeiro dia de aula.
Na real, só apresentação dos professores, funcionários, etc. Parece que é bem comum aqui, pq o curso do Fred foi igual. Eles chamam de clase inaugural. De aula não tem nada, só o nome, mas ok. Voltemos ao tema central...
 
Como estou querendo ir de bici (como eles falam aqui) pra escola, assim que acabou a bagaça, fui assuntar na recepção se era seguro, onde deixar a magrela, etc.
Saindo da escola percebi que tem umas bicicletas "estacionadas" na calçada da frente. E então, o que eu faço? Olho pra elas, lógico. Pra reparar como pessoal para, prende a corrente, etc.
Só me esqueci de, ou parar pra olhar ou olhar pra frente pra andar e fui olhando e andando. Conclusão: topada certeira com o poste (aqueles quadrados, de placa de estacionar).
Mas fez um barulho tão grande e balançou tanto o poste, que a escola inteira deve ter me olhado.
O que eu fiz? Fingi que nada estava acontecendo, continuei olhando pras bicicletas (agora parada) e, lógico, nem olhei pra trás.
O óculos de sol ajudou a esconder as lágrimas que corriam descontroladas e "vamoquevamo". Não que eu quisesse chorar, mas elas rolavam a toda, inconscientemente... Foi uma puta pancada! Sim, doeu pra cassete, mas sou mocinha já.
Enfim, meio tonta ainda (mais do que já sou, se é que é posível) e rindo da situação patética, lá fui eu em direção ao metrô.
 
E me deparo com una chica com 2 amigas lhe apertando o supercílio, que sangrava pacas.
Perguntei se queriam ajuda, disseram que sim e fui em busca de uma farmácia.
Achei, voltei, expliquei onde era, descolamos um gelinho e então ela mesma, rindo e chorando, me explica que estava conversando com as amigas e, distraída, meteu a cabeça numa árvore e cortou a cara. É mole?
 
Bom, ela certamente tomou ao menos um pontinho e eu, ganhei apenas un chichón (galinho), que hoje já está bem menor.
 
Como podem duas topeiras fazerem a mesma merda quase simultaneamente, na mesma rua e ainda se encontrarem???
 
 
 
 
 
 

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Nuestra primera película en el cine español

Nada melhor que um filme espanhol pra abrir nossa temporada de cinema por aqui...
 
Todos tenemos un plan tinha acabado de estrear, era a bola da vez. Inclusive, muito bom, mega recomendo! (filme alternativo, nada hollywoodiano, como me gusta)
 
Ingressos demarcados (adoooro!), escolhemos a última fileira, bem no centro da tela, do jeito que a gente gosta. (média de 9 € a sessão... quase mesmo preço que no Brasil, uns R$ 24)
Afinal, era sexta à noite e tendência era que a sala bombasse, certo? Errado!
Quandro entramos (pasme!), sala vazia!
Só nós + 2 pessoas que compraram antes da gente...
 
Agora alguém pode adivinhar onde os dois seres humanos meteram sus culos???
Bingo! Nas porras dos nossos lugares!!!!
Meo Deos, se vc escolhe a porra da sua poltrona ainda na bilheteria (e foi o primeiro a comprar, pq comprou antes da gente), porque cargas d'água vai se sentar num lugar diferente do que elegeu?
E o pior: com a sala vazia, 100 lugares disponíveis e vai se sentar bem no lugar de outra pessoa?
Só comigo acontecem essas coisas, né? E agora com o Baby, por tabela... (quem mandou escolher a mulher problema?)
 
Sorte deles que eu estava num dia zen e, quietinha (milagre!), resolvemos nos sentar em outra poltrona.
Mas o velhinho falou durante o filme in-tei-ro... Eu estava quase oferecendo um gole d'água pra ele não se engasgar... Não parava de tagarelar e comentar o tempo todo. E o pior: alto!
 
Respira, Sirley, respira!
Utilizadas todas as técnicas de auto-controle pra não voar no pescoço dele, de novo, sentamos em outro lugar, mais pro meio da sala.
 
E não é que depois de um tempo o pentelho pegou sua velhinha e resolveu ir embora, no meio da sessão?
Ou seja, só foi ao cinema atormentar minhas ideias e testar minha paciência, mesmo!
 
¡Tomar por culo!